Luminária Ocean Tech White e Blue Bivolt

///Luminária Ocean Tech White e Blue Bivolt

Luminária Ocean Tech White e Blue Bivolt

Luminária articulada bivolt com design moderno, inovador e discreto com LEDs emissores de luz branca. Não necessita ser removida para manutenção do aquário ou alimentação dos peixes. Traz o máximo de praticidade ao aquarista aliado ao desempenho da iluminação LED.

De R$199,00A partir de R$179,99
Modelo Escolha o modelo desejado. H-30 H-45 H-60 H-80 H-100 H-120
Clear selection
REF: N/A Categoria: Marca:

Descrição

Ícone de Acará-DiscoSobre a Marca Ocean Tech

Uma nova marca que está ganhando rapidamente uma grande massa de fãs. Suas embalagens sofisticadas de elementos filtrantes e os belos galões na linha de condicionadores diferenciam esta marca de qualquer outra. Se já não bastasse o design de suas embalagens, seu conteúdo tem se mostrado igualmente eficiente e eficaz no tratamento e condicionamento da água. Afinal, é isso o que nos interessa e o mais importante, não é mesmo?

Com uma extensa linha de elementos filtrantes – carvões ativados (Premium Carbon), misturas funcionais (Zeo Carbon), removedores de amônia (Ammonia Remover), alternativa ao Seachem Purigen (Ocean Pure) – e condicionadores, esta marca é uma ótima alternativa às marcas tradicionais do mercado que vale a pena conhecer, tanto pelo preço competitivo, quanto pela qualidade do resultado.

Além de tudo isso que vimos, a Ocean Tech conta com uma linha em constante expansão de produtos para o aquarismo com um excelente custo benefício. Temos termostatos e luminárias com design clean e tecnologia de ponta por preços imbatíveis.

Ícone de Acará-DiscoCaracterísticas Luminária Ocean Tech White e Blue


– Luminária Bivolt com design moderno, inovador e discreto com LEDs emissores de luz branca e azul.
– Equipamento completo, acompanha suporte discreto em acrílico transparente para fixação no vidro do aquário.
– Luminária articulada, não necessita ser removida para manutenção do aquário ou alimentação dos peixes.
– Traz o máximo de praticidade ao aquarista aliado ao desempenho da iluminação LED.
– Equipamento fácil de montar, desmontar e instalar. Montagem e instalação em menos de 5 min.
– Lâmpadas LED proporcionam eficiente consumo de energia e um elevado nível de iluminação.
– Proporciona um novo visual para seu aquário tanto em seu interior quanto em seu exterior.
– Torna desnecessária a utilização de tampas de madeira, mantendo um visual fantástico do aquário em relação ao ambiente em que se encontra.
– Diferentes modelos, dimensões e potências disponíveis, encontre o modelo certo para seu aquário.
– Adequado para aquários de água doce (plantados ou não).

Ícone de Acará-DiscoDescrição Luminária Ocean Tech White e Blue

A Luminária Ocean Tech White e Blue foi criada para unir praticidade a um design clean e moderno. Ela facilmente substitui as tampas de móveis de madeira tradicionais de aquários, trazendo um ar muito mais sofisticado para o aquário e, consequentemente, para o ambiente em que se encontra.

O visual de grande destaque desta linda luminária aliado à sua tecnologia LED proporcionam um equipamento perfeito para nossos aquários de água doce plantados ou não. O elevado nível de iluminação em comparação às lâmpadas tradicionais traz mais vida às cores dos peixes e ornamentos, além de prometer um destaque bem maior do aquário em qualquer ambiente de nossa casa, principalmente à noite.

É muito fácil e intuitivo montar a Luminária Ocean Tech White e Blue em nossa aquário. Diferente de outras luminárias que necessitam que um suporte seja adquirido separadamente para conseguimos utilizá-las em nosso aquário, o projeto da Luminária Ocean Tech White e Blue foi idealizado para que o equipamento precise de poucos componentes para render todo seu potencial diante de nossos olhos.

Abrindo a caixa da Luminária Ocean Tech White e Blue, encontramos a própria luminária, os componentes elétricos (fonte e cabo de alimentação), dois suportes e hastes metálicas que permitirão sua sustentação e instalação no aquário. Em poucos minutos de montagem a luminária está pronta para renovar o visual de seu aquário.

A Luminária Ocean Tech White e Blue conta com um interruptor não sendo necessário desligá-la da tomada para apagar as luzes do aquário. Também é possível adaptar um timer (temporizador digital) à luminária para fazê-la funcionar apenas em determinados períodos do dia, sem comprometer sua durabilidade.

Como sabemos, a tecnologia LED traz um grande benefício: consumo eficiente de energia, transformando aproximadamente 90% da energia em luz. Isso significa que “iluminamos muito mais com muito menos energia” e que a iluminação LED não irá provocar alterações na temperatura de nosso aquário, pois pouca energia é transformada em calor. Este último tópico é importante em aquários marinhos.

Uma outra questão que faço questão de citar é a sustentabilidade. A maioria das lâmpadas fluorescentes convencionais contêm materiais, como o mercúrio e que é bastante perigoso para o meio ambiente. Já as lâmpadas LED não contêm materiais tóxicos e são 100% recicláveis, o que consequentemente diminui a emissão de carbono em até um terço. O longo período de vida operacional mencionado também significa que uma lâmpada LED pode economizar materiais de produção de até 25 lâmpadas incandescentes – e isso sem falar no baixo consumo de energia elétrica. Um grande passo para um futuro mais verde!


1. Abra a caixa e retire todos os componentes da embalagem sobre uma superfície plana. Você também pode realizar a montagem já no próprio aquário prendendo os suportes de acrílico e seguindo do passo 3 em diante.
2. Separe as 4 hastes e os dois suportes de acrílico.
3. Encaixe um par de hastes em cada suporte de acrílico. Atente-se para encaixar as duas hastes no mesmo sentido, de forma que as duas terminem na mesma altura.
4. Com o conjunto suporte + haste montado, insira as pontas livres das hastes no furo lateral da luminária, repita o processo com o outro par de hastes.
5. Confira se a montagem está firme e devidamente ajustada.
6. Leve a luminária até o aquário encaixando os suportes de acrílico nas duas laterais do tanque.
7. Fixe o suporte com segurança no vidro do aquário através da regulagem em forma de parafuso. Não é necessário apertar muito, apenas o suficiente para uma segura fixação.
8. Ligue a luminária na tomada e acione o interruptor.
9. Pronto! Sua luminária está funcionando.
Verifique qual modelo é o mais apropriado para seu aquário.

Modelo LumináriaAjuste Suporte (cm)Capacidade Aquário (L)N° LEDs*Potência Total (0,5W/LED)Dimensões (CxLxA)
H-3030-5036241230x10x1cm
H-4545-6554361845x10x1cm
H-6060-8072482460x10x1cm
H-8080-100160723680x10x1cm
H-100100-1202008442100x10x1cm
H-120120-1403609648120x10x1cm


*O modelo de luminária Ocean Tech White/Blue apresenta metade dos LEDs azuis e a outra metade branca, já o modelo White apresenta todos os LEDs brancos.

O assunto iluminação é muitas vezes deixado de lado por aquaristas, entretanto, pode ser uma matéria densa e complexa a depender da finalidade da iluminação que precisamos. Acho importante entendermos o básico de iluminação e sermos capazes de ter certo discernimento na hora de adquirir a iluminação para nossos aquários.



Assim como no colégio aprendemos primeiro a somar, subtrair, dividir e multiplicar antes de resolvermos longas expressões matemáticas, para alcançarmos entendimento mais complexos sobre iluminação, precisamos antes construir uma base de conhecimento. Isso é possível através da leitura e entendimento de diversos conceitos sobre luz e iluminação. De uma forma didática, pretendo reproduzir isso a seguir.

Luz

Inicialmente, vamos falar um pouco sobre luz. A luz é uma forma de energia, afinal, não é à toa que transformamos luz em energia elétrica através da tecnologia de placas solares, já as plantas e algas não precisam precisam da tecnologia humana para transformar a luz em seu próprio alimento. Sim, acabamos de citar a famosa fotossíntese. Se formos definir de forma técnica, podemos dizer:

Luz – é uma radiação eletromagnética que produz percepção visual.

Parece complicado? Só parece, reflita comigo, dizer que a luz é uma radiação é bem coerente, pois o brilho do sol navega pelo espaço até alcançar a Terra, troque o verbo “navegar” por “radiar” e você chegará a conclusão que o sol radia sua energia liberada em forma de luz para nosso planeta a todo instante. O termo “eletromagnética” quer dizer que a luz tem propriedades elétricas e magnéticas, mas isso não tem interesse para nosso contexto de estudo, então podemos ignorar. Por fim, o conceito diz que a luz “produz percepção visual”, explico essa frase com uma pergunta: você consegue enxergar algo no completo escuro? Nós só enxergamos o ambiente ao nosso redor, pois há luz sendo refletida pelos objetos, logo também é bem intuitivo entender que a luz permite que nós possamos ver/perceber visualmente os objetos ao nosso redor.

Calma, eu não me esqueci de comentar melhor sobre a fotossíntese, apenas sei que você já tem uma boa noção do que se trata e não é nosso objetivo entrarmos em aspectos muito específicos da área de botânica e processos metabólicos complicados. Se você não faz ideia do que é fotossíntese, não tem problema também, o que você precisa saber está logo abaixo.

As plantas fazem uso da luz como energia para a síntese de glicose a partir do CO2 + água. A glicose é o próprio alimento da planta e essencial para sua sobrevivência. A captura de luz acontece através de pigmentos vegetais que funcionam como fotorreceptores na fotossíntese, absorvendo a luz nos comprimentos de onda entre o azul e o vermelho e refletindo diferentes tonalidades de verde, o que confere às plantas sua cor característica. Sem luz não ocorre a fotossíntese e você já sabe a consequência. Portanto, fica a dica, de nada adianta encher o aquário de fertilizantes e CO2 sem disponibilizar iluminação adequada para as plantas.

GÁS CARBÔNICO (CO2) + ÁGUA (H2O) + LUZ ==> GLICOSE (CH2O) + OXIGÊNIO (O2) + ÁGUA (H2O)

Mas qual a importância disso para meu aquário marinho? Você deve lembrar que os corais apresentam uma relação simbionte com micro algas zooxantelas, isto é, os corais dependem das algas e de sua fotossíntese para sobreviver. As Zooxantelas vivem no interior dos tecidos dos corais e através da fotossíntese alimentam o coral com açúcares (glicose), aminoácidos e outros produtos orgânicos, recebendo dele dióxido de carbono e nutrientes provenientes dos processos metabólicos. Você pode ler mais sobre esse assunto neste ótimo artigo aqui.

Espectro Visível (Óptico)

Agora que você sabe que a luz é uma radiação eletromagnética, vai achar muito interessante saber que nem sempre uma radiação eletromagnética é visível para nós seres humanos. Eu aposto que você nunca viu a cor ultravioleta, apesar de ouvir muito falar dela em dias ensolarados, o mesmo acontece com o infravermelho. Mas por que isso ocorre? Ocorre pois temos radiação eletromagnética em diferentes frequências e comprimentos de onda o que dá origem a uma amplo espectro eletromagnético. O que acontece na prática é que nossos olhos não são capazes de enxergar a radiação eletromagnética fora de determinada faixa de frequência e comprimento de onda. Daí surge o conceito de espectro visível que ficará bem mais fácil de entender agora.

Espectro Visível – É uma faixa de radiação eletromagnética, visível ao olho humano com comprimento de onda entre 400 a 700 nanômetros (1 nm = 10-9 m) e frequência definida pela banda entre 400 THz e 790 THz.

Apesar de alguns termos remeterem a aulas de física, não se assuste. O que você precisa retirar disso é que dentro desta faixa eletromagnética (espectro visível) há fótons de luz capazes de sensibilizar o olho humano de uma pessoa normal e, portanto, temos o milagre da visão. Aliás, tal faixa de radiação é também chamada de luz visível, ou simplesmente luz. Será apenas coincidência chamá-la assim? Claro que não, ela é a luz de fato que conhecemos. Nós humanos vemos numa faixa que vai do vermelho ao violeta, passando pelo verde, o amarelo e o azul.

Depois destes estudos, já conseguimos fazer um “gancho” muito importante no processo da fotossíntese, as clorofilas das plantas absorvem a luz com maior intensidade nas faixas do azul (430 a 470 nm), laranja (600 a 640 nm) e vermelho (640 a 780 nm). Entretanto, vale ressaltar que o processo fotossintetizante não é regido unicamente pelas clorofilas, sendo influenciado também por outros pigmentos acessórios que absorvem de forma mais eficiente algumas radiações, posteriormente transferindo esta energia para as clorofilas. Os pigmentos licopenos e carotenos são muito eficientes com as radiações de picos azuis, e as ficoeritrinas e ficoxantinas tem suas absorções próximas às das clorofilas. É importante observar que, apesar da maior absorção da luz azul, há maior resposta fotossintetizante à luz vermelha; este fato se deve a um complexo processo de transferência da energia absorvida, dada a maior instabilidade da clorofila frente aos altos estados de excitação energética que são proporcionados pela luz azul.

O espectro luminoso de uma lâmpada é uma caracterização da intensidade relativa de luz que ela emite para cada comprimento de onda. As lâmpadas projetadas para aquários marinhos ou plantados têm seus espectros intensificados nas cores favoráveis referidas acima.

Além da ação fotossintetizante dos picos azuis e vermelhos, a proporção dos diversos picos que compõem o espectro luminoso final irá atuar em diversos outros processos metabólicos das plantas, que vão do crescimento horizontal (expansão foliar) ou vertical (estiolamento) até formação de reservas (tubérculos), floração ou dormência da planta. Por curiosidade, denomina-se este conjunto de processos de fotomorfogênese.

Principais Conceitos de Iluminação

Fluxo Luminoso – É a quantidade de luz emitida por uma lâmpada em todas as direções, geralmente expressa em lúmens (lm).

Potência Consumida – É a energia elétrica consumida por unidade de tempo por uma lâmpada, geralmente expressa em Watts (W).

Eficiência Luminosa – É a relação entre o fluxo luminoso emitido pela lâmpada e a potência consumida, expressa em lúmens por Watt (lm/W).

Intensidade Luminosa – É a quantidade de luz emitida por uma fonte luminosa em uma determinada direção – num ângulo muito fechado. Conceito utilizado em lâmpadas refletoras, onde a intensidade luminosa está ligada ao ângulo do fecho. A intensidade luminosa é geralmente expressa em candelas (cd). Aqui cabe um comentário interessante, as lâmpadas fluorescentes têm aproximadamente a mesma eficiência energética das HQI’s, com a vantagem do menor preço, mas tem seu uso limitado a aquários com até 60 cm de altura, pois acima disto a sua intensidade luminosa não seria suficiente para atingir satisfatoriamente as plantas ao nível do substrato. Portanto uma lâmpada HQI emite um feixe luminoso mais concentrado revertendo em maior poder de penetração da luz na água.

Iluminância – é a quantidade de luz que incide por unidade de tempo sobre uma determinada superfície, geralmente expressa em lux (lx) e medida através de equipamentos chamados luxímetros. Como o meio aquático apresenta variáveis índices de depreciação, além da perda pela reflexão na película superficial da água, cada planta – até mesmo cada folha – pode receber uma iluminância diferente, sendo portanto muito difícil estabelecer uma iluminância exata em um aquário. Mas este seria o método mais eficiente para nos certificarmos da correta iluminação das plantas.

Temperatura de Cor – É a aparência cromática da luz emitida por determinada fonte luminosa. Quanto mais alta a temperatura de cor, mais branca é a tonalidade da luz emitida. Se pararmos para pensar, objetos muito quentes, como filamentos de lâmpadas incandescentes, brasas, tochas, altos fornos e estrelas, emitem luz com espectros bastante específicos e independentes do material que são feitos, portanto pode-se fazer uma equivalência direta entre a tonalidade da cor emitida com a temperatura do objeto, geralmente expressa em Kelvin (K).

Um ótimo exemplo para quem já esteve em um laboratório na época do colégio é o Bico de Bunsen e sua chama. Quando acendíamos a chama deste equipamento, ela era amarelada, mas depois de um pequeno ajuste no instrumento obtínhamos uma chama azul quase branca.

A luz natural do nosso Sol, em céu aberto e ao meio dia, tem temperatura de cor em torno de 5400-5500 K. Portanto, para imitar a luz solar natural a temperatura de cor para aquários plantados ou marinhos deve ser algo em torno de 5200 a 6500 K.

IRC (Índice de Reprodução de Cor) – É a relação entre a cor real de um objeto ou superfície e a aparência percebida diante de uma fonte luminosa artificial. Esse índice varia de 0 a 100%, sendo que, quanto mais próximo de 100%, maior a fidelidade e precisão das cores dos objetos. A luz natural do sol em céu aberto ao meio dia tem IRC igual a 100, com total fidelidade e precisão na percepção das cores. A aplicação do IRC em aquários ficaria mais pelo lado estético, que também é muito importante. Afinal de contas a maioria absoluta dos aquários tem por função principal a apreciação visual. Um aquário com pelo menos uma lâmpada de alto CRI proporciona um visual bem mais agradável aos olhos do apreciador, com excelente noção de cores e profundidade.

Vida útil – É a expectativa de durabilidade de uma fonte luminosa. A maior parte das normas internacionais atualmente considera que o término da vida útil de uma fonte luminosa ocorre quando a mesma atinge 70% do fluxo luminoso (LM70).

Agora que você aprendeu sobre todos estes novos conceitos, sugiro que leia este breve resumo com imagens ilustrativas para fixar o conhecimento sobre iluminação.


Quando a conversa entra no tema iluminação em aquários, a frase mais ouvida é que devemos manter 1W de luz por litro de água. Essa é uma das fórmulas mais genéricas que existem no aquarismo e deve ser seguida com muita cautela, valendo apenas para lâmpadas fluorescentes compactas. Se mudar o tipo de iluminação, essa regra já não vale, por um motivo óbvio, a unidade W (watt) significa o consumo de energia elétrica e não iluminação.

Para dimensionar a iluminação adequada para nosso aquário, devemos levar em conta a relação Lúmens por litro (lm/L), conceito que recebe o nome de Fluxo Luminoso. Cada tipo de lâmpada emite uma quantidade de Lúmens em função da sua potência, o que também pode variar de fabricante para fabricante. Veja abaixo uma regra geral fácil de achar na Internet:

Regra Geral (lm/L)
Iluminação fraca: <25lm/L
Iluminação Média (plantas Low Tech): 25-55lm/L
Iluminação Forte: 60-90lm/L
Iluminação Muito Forte: >90lm/L

Lúmens por tipo de lâmpada (pode variar)
Fluorescente compacta: 50lm/W
Fluorescente tubular T10: 52lm/W
Fluorescente tubular T8: 60lm/W
Fluorescente tubular T5: 70lm/W
LED: 70-130lm/W
HQI: 90lm/W

Então quer dizer que uma lâmpada com menos de 60lm/L ilumina mal e não presta? Não, em absoluto! Você tem que entender que o fluxo luminoso também não é uma resposta completa por si só. Precisamos refletir sobre a qualidade desta iluminação e não apenas quantidade. Podemos fazer isso com perguntas como:

1. Quais faixas do espectro de luz estão sendo favorecidas pela lâmpada?
2. São as melhores faixas para o crescimento, a fotossíntese e demais processos metabólicos dos habitantes do aquário?

O que quero dizer com isso? Você pode estar se perguntando. Quero dizer que de nada adianta uma lâmpada fornecer 100lm/L em um aquário plantado se for tudo na faixa verde do espectro de luz que é refletida pelas plantas e pouco aproveitada. Quero dizer que mesmo que uma lâmpada não atinja 60lm/L – fluxo luminoso muito enaltecido em diversos artigos e fóruns – isso não descarta sua capacidade em fornecer até mais do que o necessário para o tanque, pois um baixo índice de eficiência energética total pode estar vinculado ao fato desta lâmpada ter sido projetadas de modo a filtrar e converter parte dos outros espectros menos importantes, emitindo um espectro com maior predominância nos picos de maior atuação fotossintetizante (radiações azuis, laranjas e vermelhas). No final das contas, a eficiência energética nos espectros fotossintetizantes é muito maior que nas demais lâmpadas, ou seja, o resultado final é melhor.

Depois do que aprendemos até aqui, fica fácil perceber a importância de sempre verificar o tipo de lâmpada e os parâmetros da mesma – se é tubular T8 ou T5 HO, fluorescente compacta, HQI ou se é tecnologia LED – antes de adotar siplesmente a “fórmula mágica” 1W/L.

Além do tipo de lâmpada é necessário identificar o que buscamos com a iluminação, se é um aquário plantado, um aquário com plantas (apesar de muitas vezes os termos serem utilizados como sinônimos, existe uma diferença conceitual), um aquário somente de peixes ou ainda um reef (aquário marinho com corais). Usualmente, para aquários somente de peixes (no inglês, fish only) ou aquários com plantas, podemos manter uma iluminação mais simples com lâmpadas do tipo “luz do dia”, tonalidade branca, acrescentando algum tom de azul ou rosa em nos aquários para realçar as cores dos peixes.

É preciso também se atentar para outros fatores que definem a iluminação como a profundidade e o comprimento do aquário, o substrato que se pretende usar e a cor da água, caso dos aquários de águas mais escuras ou cor de chá (no inglês, blackwater). Por exemplo, quem tem aquários com 100cm ou mais de comprimento não precisa clarear o ambiente totalmente, pode deixar alguma parte com pouca iluminação. Portanto, como podemos ver de forma resumida, a iluminação ideal em um aquário depende de diversos fatores.


Para aquários plantados temos que entender as necessidades das plantas, qual espectro da luz é mais eficiente no processo de fotossíntese e desta forma concentrar os esforços e investimentos na lâmpada adequada. Falando de modo geral, sem aprofundar conceitos ou detalhes técnicos, as plantas aproveitam com mais eficiência os espectros azul, laranja e vermelho da luz, desta forma podemos pesquisar lâmpadas que emitam essa frequência.

Aqui devemos considerar a atenuação proporcionada pela água. Atenuação é o efeito de diminuição de luz conforme a distância. Quando falamos distância, imagine a profundidade dos oceanos. Conforme esta profundidade aumenta, a cores do espectro de luz atenuam uma a uma, até que reste apenas o azul, por isso em aquários marinhos com corais é necessário investir em espectros azuis, uma vez que, como os corais se encontram no mar, em profundidades maiores que as plantas nos rios e lagos, com o passar de milhões de anos, eles evoluíram para aproveitar melhor essa faixa.

A fauna é outro grande critério para equalizar a iluminação do aquário. Não basta comprar lâmpadas que atendam aos demais pontos da montagem e colocar os peixes que se deseja dentro do aquário. Ocorre que muitas espécies, como as de hábitos noturnos ou as que vivem em tocas, preferem locais sombrios. Também há peixes que vivem em águas escurecidas por ácido húmico ou na sombra de vegetações, preferindo pouca iluminação. É o caso dos Neons, Acarás Bandeira, Acarás Disco entre outros. O melhor seria respeitar os níveis de claridade de cada espécie no aquário, investigando como era a vida delas no meio natural.

Muitos aquaristas ficam preocupados que seus peixes estejam acanhados, parados, estressados, agressivos ou agitados, emagrecendo excessivamente ou até morrendo, sendo encontrados mortos fora do aquário, etc. Peixes como Bótias, Labeos e Dojôs sobrevivem na claridade, mas precisam de tocas para relaxar. Peixes de hábitos noturnos também não gostam de muita claridade, como por exemplo os Gobis, Synodontis, Cobras Kulli, Ituís e alguns Cascudos, que necessitam de tocas para passar o dia. A verdade é que quase nenhum peixe gosta de luz forte no aquário, como se fosse um Sol ao meio dia. Ainda é recomendado manter uma rotina de acender e apagar as luzes sempre no mesmo horário. Deixar a claridade da manhã entrar no ambiente algum tempo antes do acender das lâmpadas é indicado para que a claridade não seja repentina, mas gradual, ou então ir acendendo as lâmpadas aos poucos e apagá-las da mesma forma ao final do dia.


Não se pode descuidar do perigo das algas, pois uma iluminação mal dimensionada poderá trazer muita dor de cabeça com esses visitantes indesejados em suas diversas espécies, desde as algas que deixam a água esverdeada até as filamentosas, as marrons, pretas e azuis, como cianofíceas, entre outras.

Anos atrás, as HQIs eram imbatíveis para marinhos por sua eficiência em reproduzir infinitas cores. Com seus filamentos de alta incandescência são as que mais se aproximam do espectro solar, visualmente formando imagens de “bilhões de cores”, muito próximas às que visualizamos sob a luz do Sol. No entanto, perderam espaço para a tecnologia LED exatamente pela falta de praticidade e pelo fato de esquentarem muito, além do alto consumo de energia elétrica.

Os LEDs com sua praticidade e durabilidade estão cada vez mais populares. O LED RGB basicamente trabalha com três cores (RGB de “red”, “green”, “blue”), as demais são obtidas com revestimentos da pastilha do diodo luminescente com os vários tipos de fósforo em diversas combinações o que, visualmente, permitiria destacar na imagem assim formada aos nossos olhos, algo como “256 cores”. Nos LEDs brancos, por exemplo, não há a opção de gerar cores (apenas a branca) pois isso depende do tipo de semicondutor utilizado no diodo. A maior vantagem dos LEDs em aquários marinhos é o fato de não esquentarem a água, dispensando em alguns casos até mesmo o Chiller. Nos plantados não é diferente, os LEDs também “chegaram para ficar”. Com o crescimento do Aquaskaping (Aquapaisagismo), encontramos luminárias projetadas especialmente para estes microambientes exigentes.


Utilizamos diversos artigos dos sites abaixo, bem como o conhecimento acumulado ao longo de nossa experiência em aquarismo. Recomendamos a leitura das ótimas discussões e explicações sobre aquarismo encontradas no fórum Aquahobby.
http://www.aquahobby.com/
http://www.empalux.com.br/
https://pt.wikipedia.org/




Depende, para um aquário de peixes marinhos, sim, esta luminária trará um lindo visual, clean e sofisticado para o aquário e o ambiente ao seu redor. Agora, quando começamos a inserir corais em nosso aquário, temos que ter em mente que estes tem certas exigências por um espectro de luz que esta luminária talvez não consiga proporcionar, o que poderá prejudicar seu desenvolvimento e manutenção.

Você deve ter em mente que a principal fonte de alimentação dos corais assim como das plantas é via fotossíntese; neste processo a energia da luz é convertida em energia química que plantas e algas podem usar para transformar o dióxido de carbono em complexas moléculas orgânicas. Os açucares produzidos pelas algas zooxantelas, que vivem em simbiose com os corais, é a base de sobrevivência de corais moles e duros. Até 90% das necessidades de alimentação dos corais são atendidas pela fotossíntese e por isso que aquários de reef precisam de iluminação em quantidade e qualidade como já comentado em outros textos. (Fonte)

É importante ressaltar que os pólipos do coral não fazem fotossíntese, mas sim tem uma simbiose relacionada com algumas algas chamadas zooxantelas; as células das algas dentro do tecido dos pólipos do coral realizam fotossíntese e produzem nutrientes orgânicos em excesso que são então utilizados pelos pólipos do coral. Devido à esta relação, corais crescem muito mais rapidamente em água limpa, que deixa entrar mais luz solar. Na verdade, a relação é responsável pelo coral, no sentido de que sem a sua simbiontes, o crescimento do coral seria muito lento para os recifes de corais de estrutura impressionante que temos. (Fonte)

Para Reefs, recomendamos as luminárias especificas para esta finalidade como os modelos das marcas NemoLight Aqua Marine e Sanrise. Elas serão capazes de fornecer as faixas do espectro de luz ideais para nossos corais. Vale sempre a pena procurar saber as frequências de luz adequadas para os habitantes que pretendemos ter em nosso aquário, para fornecer a iluminação adequada. Recomendamos que leia a aba “Aquarismo é Conhecimento”.




Repare que o número presente no modelo indica o comprimento da luminária. Por exemplo, a luminária modelo S-60, apresente 60cm de comprimento, sendo adequada para um aquário de comprimento equivalente.

Leia a aba “Aquarismo é Conhecimento”, lá você aprenderá um pouco mais sobre a iluminação de aquários e poderá escolher a luminária certa para seu aquário.


A caixa contém uma luminária, fonte e cabo de energia, hastes de ferro e suportes acrílicos de fixação.

Garantia de 3 meses contra defeitos de fabricação.

Produto fabricado na China.

Informação adicional

Peso Aproximado EnvioN/A
DimensõesN/A
Modelos

H-30, H-45, H-60, H-80, H-100, H-120

Watts

12W, 18W, 24W, 36W, 42W, 48W

Marca

Ocean Tech

Capacidade Volume Aquário

36, 54, 72, 160, 200, 360

Dúvidas Frequentes

De modo a zelar pela saúde e bem estar dos animais, o envio dos discos e outros peixes é feito somente via JadLog, Tam ou Gollog, como envio específico de carga viva. No entanto, as lojas virtuais ainda não são capazes de calcular com precisão o frete de nenhuma destas transportadoras. A cada novo pedido na loja, nossa equipe entra em contato com a transportadora, realiza a cotação do frete e o informa ao cliente. Portanto, cabe esclarecer que valor do frete calculado na loja virtual no momento da compra é o padrão dos Correios. Apesar de complicar um pouco as coisas, não é móvito para preocupações, sempre entraremos em contato informando a correção do valor do frete a ser pago.

Estamos à disposição para mais esclarecimentos. Tel.: (11) 2976-4814 / WhatsApp: (11) 98840-5231. Se preferir, você também pode entrar em contato por e-mail. Responderemos o mais breve possível.


Isso se deve ao aprendizado de décadas e o carinho pelo que fazemos, inovamos e aperfeiçoamos procedimentos de embalagem que garantem a qualidade de envio para todo o Brasil. Aliás, muito do que criamos em termos de embalagem foi copiado por outras empresas do setor o que contribui para melhora da qualidade e diminuição da mortalidade em geral. Nos orgulhamos dessa contribuição e temos ciência da responsabilidade de ser um exemplo.

Discos e outros peixes: criadores desde 1988, temos embalagem de nível profissional, resultado de anos de prática e experiência. Nossa embalagem tem segura duração de até 72h (3 dias).
Nosso índice de mortalidade em envios para todo o Brasil é "zero", quem compra comprova. Ademais, o cliente tem total garantia de carga viva até o destino.

Congelados (perecíveis): são extremamente bem embalados em caixas térmicas (isopor), chegando com máxima qualidade em todo o Brasil.


Sim, o cliente deve adicionar ao seu pedido uma caixa de isopor de tamanho proporcional ao número de discos adquiridos. O número de discos comportados na caixa de isopor encontra-se na descrição do próprio produto, caixa de isopor. Caso tenha realizado a compra sem adquirir a caixa de isopor, não se preocupe, nós entraremos em contato em breve.

A empresa Acaradiscus trabalha com um prazo de envio de 1 a 4 dias úteis, após a confirmação de pagamento. Sempre nos esforçaremos para poder entregar o seu pedido no menor prazo possível, pois, como Hobbystas, sabemos o prazer de apreciar os discos em seu próprio aquário e a ansiedade até sua chegada.

Não, estamos falando de um animal doméstico e não de um produto padronizado de linha de produção. Ele não respeita um padrão, um disco não é igual ao outro por pertencer a mesma variedade. Assim como nós, ele pode muito bem atingir um tamanho e uma coloração diferente do seus irmãos ou pais, trata-se de genética. Como ser vivo, ele têm características próprias, respeita os estágios da vida (nascer, viver, reproduzir e morrer), necessita de cuidados adequados para não ficar subnutrido ou adoecer. Trocar um peixe é como trocar seu gato ou seu cachorro. Você estaria submetendo o animal, que já se acostumou ao seu aquário, a um estresse adaptativo muito grande. São muitos os casos dos animais que morrem pouco tempo depois do falecimento dos seus donos. É comprovado um forte vínculo entre o animal e o ambiente que o cerca, esta ligação influência demasiadamente sobre sua qualidade de vida, podendo inclusive comprometer sua saúde.

Contamos com 4 formas de pagamento em nossa loja virtual. Nós zelamos pela transparência e buscamos oferecer as melhoras formas de pagamento, com diferentes opções para que você escolha a que melhor lhe agrade. Abaixo veremos o funcionamento de cada uma delas.

  • Pagar.me: permite a compra no cartão de crédito de sua preferência em até 6 vezes sem juros. Se você desejar parcelar em mais do que 6 vezes (até 12x), há uma incidência de 1,99% a.m.
  • Pagseguro: permite a compra no cartão de crédito de sua preferência em até 18 vezes a depender da bandeira escolhida. A taxa de juros do Pagseguro é de 2,99% a.m.
  • TED/DOC: oferecemos um desconto de 5% para compras efetuadas por esta modalidade.
  • Boleto Bancário: oferecemos um desconto de 2% para compras efetuadas por esta modalidade.

Em caso de dúvidas, entre em contato por WhatsApp: (11)98840-5231 ou e-mail.


É um procedimento simples, vou guiá-lo passo a passo.Vamos lá.

  1. Escolha todos os produto que deseja comprar e os coloque no carrinho. Para colocar no carrinho basta clicar em comprar.
  2. Com os produtos no carrinho, passe o mouse em cima do carrinho de compras localizado no topo da tela (menu principal) e clique em "Fechar a Conta", você também pode acessar a página do carrinho de compras e clicar em "Finalizar Compra", se preferir.
  3. Na nova página que se abrirá, forneça todas informações pessoais solicitadas. Elas são essenciais para o pagamento e para o envio dos produtos.
  4. Preenchido o formulário com seus dados, desça até o fim da página. Aqui você escolherá o tipo de frete e, em seguida, a forma de pagamento.
  5. Chegamos ao nosso objetivo, para pagar em 6X Sem Juros, basta escolher a primeira opção, "Cartão de Crédito (Sem Juros)". A descrição é bem clara, não há como errar.
  6. Clique em "Finalizar Compra", insira os dados solicitados do cartão de crédito e finalize o pagamento.
  7. Missão Cumprida! Obrigado por escolher a Acaradiscus.

Atenciosamente,

Equipe Acaradiscus.


Como sabemos, você pode comprar qualquer produto da loja em até 6X sem juros ou parcelar em mais vezes se preferir. É possível que você queira confirmar o valor final da parcela de um determinado produto ou de toda uma compra. É nosso objetivo que você se sinta seguro e confortável em nosso loja virtual, prezamos pela transparência e pelo acesso à informação necessária para que isso aconteça.

Iremos explicar a seguir o passo a passo para você visualizar o valor final e real da parcela antes de finalizar a compra. É bem fácil vamos lá.

Valor final da parcela de um único produto

  1. Vá até o produto desejado e clique em comprar. Isso irá adicioná-lo ao carrinho.
  2. Acesse o carrinho de compras (ícone de "Carrinho de Compras" no topo da Página).
  3. Digite seu CEP e selecione a modalidade de envio desejada. Como você deve imaginar, o valor do frete compõe o valor da compra e, consequentemente, o da parcela.
  4. Clique em "Finalizar Compra" no fim da página. Não se preocupe, ainda não ocorrerá o pagamento.
  5. Na nova tela que surgir, preencha todas informações solicitadas. Suas informações são sigilosas e estarão seguras.
  6. No final da tela selecione o método de pagamento "Cartão de Crédito (Sem Juros)".
  7. Clique em "Finalizar Compra".
  8. Na janela que abrir, clique em "Parcelas" e você conseguirá ver o exato valor da parcela de acordo com o número de vezes que deseja dividir sua compra.
  9. Para sair da janela é fácil, basta apertar o botão "ESC" do teclado, normalmente localizado no canto superior esquerdo do teclado.
  10. Pronto! Qualquer dúvida, fique à vontade para entrar em contato.

Valor final da parcela de todo a compra (vários produtos)

É praticamente igual ao que vimos para um único produto, a única diferença é que no passo "1" você precisa colocar todos produtos desejados no carrinho de compras.

Contato

WhatsApp: (11) 98840-5231

Telefone: (11) 2976-4814

Celular: (11) 97646-4163

error: Este conteúdo está protegido contra plágio! Agradecemos sua compreensão.